Artigo Pastoreando – 7

E em Jesus Cristo, Seu único Filho, nosso Senhor

 

Cristo Pastro

Se no primeiro dos artigos de nossa profissão de fé afirmamos nossa crença em Deus Pai, pelo   segundo artigo damos nosso assentimento às primeiras verdades referentes a Segunda Pessoa da Santíssima Trindade, verdades estas que se estenderão até o sétimo artigo. Este artigo ainda pode ser subdividido em três momentos aos quais devemos nos atentar ao proferi-lo.

Normalmente nos referimos a Nosso Senhor Jesus Cristo como se a palavra “Cristo” fosse parte componente de Seu santíssimo Nome cujo significado, em hebraico, é Salvador. Contudo, isso não é correto. Ao dizermos que Jesus é o Cristo, já veiculamos uma verdade de fé muito profunda, a saber, que aquele Homem verdadeiro é Messias que havia de vir, o Ungido. O termo “Cristo”, em grego, significa justamente aquele que é ungido com óleo (Crisma, em grego). No Antigo Testamento, os reis, sacerdotes e profetas eram ungidos como sinal de sua eleição e precedência. Jesus, como o Rei dos Reis, Sumo Sacerdote e o próprio Deus falando a nós, é dito o Ungido por excelência, o Cristo.

Cremos também que a Segunda Pessoa da Trindade, Jesus Cristo, é o Filho único de Deus. Só ele é “nascido do Pai antes de todos os séculos”, ou seja, antes mesmo que existisse o tempo, pois é “gerado, não criado”, como professamos com o Símbolo Niceno-Constantinopolitano. Jesus é o Filho Único de Deus porque só Ele é da mesma substância do Pai, tem Seu Ser, Sua eternidade e Sua glória. Todavia, o Filho, seguindo o projeto de Amor do Pai, estende também a nós a possibilidade de nos inserirmos nesta relação única ao nos associarmos a ele pelo Batismo a ponto de podermos chamá-Lo de irmão e a Deus de Pai.

Assim, consequentemente, se Jesus Cristo é “Deus de Deus, Luz da Luz, Deus Verdadeiro de Deus Verdadeiro”, a Ele pertencem não só a glória, a sabedoria e a eternidade, mas também o poder e o domínio sobre toda a Criação. Tudo o que há é obra também da Segunda Pessoa da Santíssima Trindade, bem como, especialmente, a Salvação dos homens. Por isso, é justo e necessário reconhecer e proclamar com fé que Jesus Cristo é o Senhor.

Um abraço.

Gabriel Ferreira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.