Algumas pequenas constatações

 

Estou trabalhando na finalização da minha dissertação em um café. Neste exato momento há, ao meu lado, duas mulheres que conversam sobre diversas coisas. Uma delas começa a narrar suas experiências em um centro espírita no qual, segundo ela, eles “estudam o Evangelho”?

Mas o que me fez postar foi um comentário em especial. Há pouco ela dizia que quando as pessoas vão ao tal centro, o que elas buscam é “conforto espiritual e não serem massacradas”.

De fato, ela está coberta de razão. É exatamente isso que as pessoas procuram. Elas não gostam da experiência do fracasso, da dor, da angústia. Conforto espiritual é sempre o oposto dessas experiências. O que me leva ao pensamento de que as pessoas tem uma dificuldade brutal em re-valorar o sofrimento e a dor. E não é exatamente isto o que nos propõe o Cristo e a Igreja neste tempo quaresmal? Acaso o Cristo não sofreu (páthos/ passio)? Em sua oração ao Pai não exprimiu um sofrimento tenebroso pedindo uma vez que o Cálice lhe fosse afastado mas suplicando por outras três que se fizesse a vontade do Pai e não a dEle? O grito cortante do abandono na Cruz não é o completo oposto da ideia tola e infantil de “conforto espiritual”?

 

Somos tolos, infantis e ridiculamente fracos. Alguns obstinadamente.

 

PS: Estou preparando um post sobre Quaresma, Conversão e a Campanha da Fraternidade. Fiquem atentos.

PS2: Estudam o Evangelho? Ahn tá?

1 comentário Algumas pequenas constatações

  1. Fr

    Lindo coment?rio Gabriel. A sempre promessa de felicidade, de realiza??o total sem culpa, sem o peso cortante da fragilidade da pr?pria natureza humana!

    Sobre a campanha da fraternidade… Deus Meu… o PCC agradece e muito! hehe (maldade)…

    “Paz, Justi?a e Liberdade” – quando entrei na Igreja e vi aquela estampa quase tive um treco… mas n?o era o lema do PCC era o da CF… se esse n?o for o pacto da igreja (brasileira) com o mund?o, j? n?o sei mais o que meus olhos veem. A TL por tr?s disso e o papa no Vaticano!

    Fraterno Abra?o
    Ichthys – e nossa vida consagrada ao Cristo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.