Depois de Hegel – Introdução no Estado da Arte

Publicamos no blog Estado da Arte, no jornal O Estado de São Paulo, a introdução completa do livro de Beiser, traduzido por mim:

Tempos normais da filosofia são aqueles nos quais há uma definição bem assentada e consensual do que seja filosofia, quando filósofos têm um consenso geral sobre a natureza de sua disciplina e das tarefas que ela envolve. Tempos revolucionários são aqueles nos quais não há tal definição, quando há muitas concepções conflitantes acerca do que é a filosofia. Seguindo tais definições, o final do século XVIII, o início do XIX e o fim do XX foram épocas normais. A segunda metade do século XIX, contudo, foi revolucionária.

Para comprar o livro, visite o site da Editora Unisinos.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.